5 de maio de 2015

Sistema de Proteção Catódica por Corrente Impressa

A Proteção Catódica consiste na criação de uma região anódica artificial, tornando a estrutura a ser protegida (duto) em catodo da pilha eletroquímica então formada. A região anódica artificial é constituída por eletrodos de liga metálica de baixa taxa de desgaste, instalados no solo. Um retificador transforma a fonte externa de corrente alternada para contínua, num valor de tensão adequado que é aplicado entre os anodos artificiais e o duto. Eletroquimicamente, a corrente iônica da região anódica artificial para o duto, rebaixa o potencial natural do mesmo para valores que o tornarão catodo, onde ocorre a reação de redução, sem perda de massa, e assim ele estará isentado de corrosão. Um Sistema de Proteção Catódica por Corrente Impressa, instalado e operando, é composto basicamente pelos retificadores, leitos de anodos, drenagens elétricas e pontos de teste: Os retificadores são equipamentos que abaixam a tensão elétrica alternada de fornecimento (13,8kV, 220V, etc.) […]